Chegada à Lua

Chegada à Lua - 20 de julho,2019

Com um serão preenchido de atividades, o Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA) e o Museu da Presidência da República (MPR) associam-se para celebrar a chegada da Humanidade à Lua.

Há meio-século, o americano Neil Armstrong, transportado até à superfície da Lua pela missão Apollo 11, tornava-se o primeiro ser humano a caminhar sobre outro corpo celeste que não a Terra.

A Lua será sempre o primeiro capítulo da exploração de outros mundos, e é esse feito que se celebra a 20 de julho com uma noite de luar nos jardins do Palácio de Belém.

PROGRAMA

21h00: Abertura de portas (Praça Afonso de Albuquerque)

JARDIM DOS TEIXOS

21h30 – 23h00

Sessão especial Ignite IAstro

Atividade inserida no projeto Digressão Ignite IAstro – Uma corrida pelo Universo em contrarrelógio, que percorre o país, desde 2016, divulgando a investigação nacional em Astrofísica e Ciências do Espaço.

Neste formato, oito investigadores têm uma intervenção rápida e estimulante de apenas 5 minutos cada, ao ritmo de uma sequência automática de 20 imagens que vão sendo projetadas.

Da Terra à Lua, 50 anos depois, Alberto Negrão
Foi há meio século que se deu um gigantesco passo para a Humanidade quando Neil Armstrong deixou, pela primeira vez, uma pegada humana no nosso satélite natural. Nunca uma corrida teve tão longínqua meta, nem o prémio foi mais aliciante. Revisitemos a maior viagem alguma vez realizada pela espécie humana.
Um ESPRESSO para outros mundos, Nuno Santos
Como é que conseguimos descobrir planetas a orbitar outras estrelas se elas ofuscam por completo a luz refletida pelo planeta?
Os astrofísicos utilizam a física para detetar indiretamente planetas na vizinhança de uma estrela. Em conjunto com engenheiros, ajudam a desenvolver tecnologia e instrumentos tão sensíveis como o ESPRESSO. Este espectrógrafo será capaz de captar na luz das estrelas os efeitos muito ténues produzidos por planetas tão pequenos como a Terra. Aceite o convite e apanhe o ESPRESSO para outros mundos.
Estrelas na idade do armário, Raquel Albuquerque
À semelhança dos seres vivos, as estrelas nascem, crescem e morrem. Uma das fases mais ativas da vida estelar ocorre na sua ‘puberdade’, quando as estrelas encontram o equilíbrio entre ganhos e perdas de matéria. Nesta breve apresentação, irei explorar as características mais rebeldes das estrelas jovens.
A música das estrelas, Margarida Cunha
As estrelas são autênticos instrumentos musicais. Como podemos nós detetar a música que elas ensaiam? E o que é que essa música nos ensina acerca do seu tamanho e do seu interior?
Dentro de um enxame… de galáxias!, Catarina Lobo
A maioria das galáxias não se encontra isolada no Universo: tal como a nossa Via Láctea, muitas pertencem a grupos ou a enxames de galáxias. No interior destas enormes estruturas, as galáxias sofrem vários processos que as transformam ao longo do tempo cósmico e alteram a sua forma e a sua capacidade para formar novas estrelas. Nesta breve apresentação, vamos acelerar o tempo e ver a evolução das galáxias de enxame.
Os primeiros monstros do Universo, José Afonso
Muitas galáxias albergam no seu centro um buraco negro gigantesco que, em certas fases do seu crescimento, absorve enormes quantidades de matéria. Nesse momento, ocorre um aumento excecional de brilho na sua vizinhança e a galáxia que acolhe este monstro pode ser observada a distâncias enormes através do Universo.
Conseguimos hoje observar estes monstros nos limites do Universo observável, quando este era jovem, e começamos a perceber como se formaram as primeiras galáxias e estrelas.
O lado escuro da força, Tiago Barreiro
Mais de metade de todo o Universo conhecido pertence ao “lado escuro”. Ele não é observado diretamente e o que o compõe continua a ser para nós um mistério. Vamos dar um pouco de luz ao lado mais escondido do Universo.
O Espaço: a última fronteira, Mário João Monteiro
O acesso ao Espaço abriu novas oportunidades aos Astrónomos, permitindo observar e estudar o Universo de formas que nos são inacessíveis a partir do solo. Portugal, através da Agência Espacial Europeia (ESA) também participa nesta aventura. Iremos viajar pelos grandes projetos científicos da ESA, incluindo aqueles em que Portugal está envolvido, e que estão a abrir novas fronteiras do conhecimento em Astronomia e Astrofísica. O céu já não é o limite!

Nota: Sendo um evento ao ar livre e podendo a noite ser fresca, recomendamos agasalho ou mantas, e toalhas para estender na relva.

JARDIM DO BUXO

21h30 – 01h00

Observações astronómicas com telescópios

Observações em contínuo, com destaque para Júpiter e as suas luas, e Saturno e os seus anéis. A partir das 00h00, observações da Lua e possibilidade de a fotografar com telemóveis.

23h30 — 00h00

Momento musical inspirado na Lua,
acompanhando a sua ascensão no céu.

 

Pátio do Museu

00h00 — 01h00

Speed-dating com astrónomos

Sem audiência, nem medo de fazer perguntas, num encontro individual e informal com astrónomos do IA, poderá perguntar tudo o que sempre quis saber sobre a realidade de um investigador mas nunca teve coragem para perguntar.

Como é o seu dia-a-dia? Quais as suas motivações, obstáculos, desafios? Tem apenas 2 minutos até a buzina tocar – aproveite-os bem!

Museu da Presidência da República

21h00 — 01h00

A chegada à Lua pelo Presidente Américo Tomás. Como os portugueses viram o acontecimento, em 1969.

Em exposição, a agenda pessoal do Presidente Américo Tomás com a anotação manuscrita da chegada à Lua, no dia 21 de julho de 1969.
Visionamento de uma reportagem da RTP sobre a chegada à Lua, com imagens da época.

00h30: Última entrada

01h00: ENCERRAMENTO

Duração:

4 horas

Entrada livre

Localização

Museu da Presidência da República
Palácio de Belém
Praça Afonso de Albuquerque
Lisboa