Dois investigadores do IA recebem bolsas Marie Curie

Imagem artística do planeta de tipo Júpiter quente, NGTS-1b

Imagem artística do planeta de tipo Júpiter quente, NGTS-1b. Créditos:University of Warwick/Mark Garlick

Duas bolsas Marie Skłodowska-Curie foram atribuídas neste ano pela Comissão Europeia a Gabriella Gilli e Tiago Campante, investigadores do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA). Estas bolsas irão permitir-lhes desenvolver o seus próprios projetos de investigação e impulsionar os respetivos trajetos científicos.

Atualmente, Gabriella Gilli estuda os processos físicos responsáveis pelo modo como variam as atmosferas de Vénus e de Marte. Vénus, em particular, é um planeta semelhante à Terra na aparência mas extremamente inóspito. Gilli pretende usar um novo modelo teórico tridimensional, análogo ao que é usado para descrever a atmosfera de Vénus, para antecipar as futuras observações de exoplanetas quentes de tipo terrestre.

Tiago Campante é especialista em física estelar e no estudo de exoplanetas. A bolsa Marie Curie irá financiar um projeto de deteção e caraterização de planetas gasosos que orbitam estrelas mais evoluídas que o Sol, as chamadas gigantes vermelhas.

Saber mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *